Assistência

De Enciclopédia Médica Moraes Amato
Ir para: navegação, pesquisa

___ à Saúde, no Brasil remonta à fundação das Casas de Misericórdia, que se iniciou com a Santa Casa de Santos, fundada em 1543. Tratava do problema como caridade, onde a receita provinha da benemerência dos ricos; o Trabalho de Enfermagem e administrativo, da devoção das freiras, o do médico, voluntário e o doente era tratado gratuitamente. Tal situação perdurou até o início deste século quando, em 1933, a Lei Elói Chaves criou uma Caixa de Aposentadoria e Pensão para cada uma das estradas de Ferro do país, Fato tido como Ponto de partida da previdência social brasileira. Somente na década de 40 ocorreu a criação dos Institutos de Previdência que também, cuidavam da Saúde. Nessa ocasião, pela primeira vez, o Trabalho médico passou a ser remunerado. Os Institutos atendiam algumas categorias profissionais com Flagrante discrepância de Qualidade assistencial em decorrência das diferenças de recursos. Houve a preocupação de melhorar o nível dos menos favorecidos e, em 1973, todos foram reunidos no chamado Instituto Nacional de Previdência Social - INPS com evidente piora de resultados. Nivelados por baixo aqueles que eram bem atendidos pioraram, e os que já estavam mal continuaram no caos. Verificou-se ser conveniente separar a Previdência da Saúde. Foi criado o INAMPS - Instituto Nacional de Assistência Médica e Previdência Social. Numa fase seguinte este foi desmembrado: uma Parte cuidava da Saúde que passou para o Ministério da Saúde e a outra, INSS - Instituto Nacional de Seguridade Social, foi ligado ao Ministério da Previdência Social. Já mergulhada no caos, prestando péssimo Atendimento ao doente e remunerando muito mal o médico, surge a Constituição Federal de 1988 estabelecendo que: a Saúde é Direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do Risco de Doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação e criou o Sistema Único de Saúde - SUS com as diretrizes: I- descentralização, com direção única em cada esfera de governo; II- atendimento integral, com prioridade para as atividades preventivas, sem prejuízo dos serviços assistenciais; III- participação da comunidade e, garante os recursos pelo Parágrafo único onde está explícito: O Sistema Único de Saúde será financiado com recursos do orçamento da seguridade social, da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, além de outras fontes.
___ social, (ref. competências do especialista) O Assistente social é extremamente importante nos serviços de Saúde particularmente no Hospital onde tem Contato direto com a família e procura resolver os problemas sociais do Paciente. O médico deve facilitar seu serviço dando subsídios claros e compreensivos que certamente aliviarão as tensões dos doentes bem como de seus familiares.
___ espiritual ao doente internado, é louvável a existência de pessoas que, num verdadeiro ato de devoção, trabalham como voluntários na prestação de Assistência espiritual ao doente internado.
A Assistência espiritual ao doente, internado ou não, é fator que cria condições básicas a mais para melhorar a Qualidade da relação médico/paciente. Não se pode desprezar o toque de esperança a mais que o Paciente alimenta, facilitando, assim, sua participação no Processo de Cura.
As pessoas altamente qualificadas para tal serviço tem ilibado comportamento, grande preparo religioso e elevado espírito de devoção ao sofredor.
No Trabalho de Assistência espiritual, o voluntário aproxima-se do Paciente e indaga se ele gostaria de conversar um pouco sobre o assunto. Com a anuência do paciente, os voluntários em poucos minutos dão uma palavra de carinho, de fé e de esperança. Não é feito nenhum proselitismo religioso, mencionando credo ou seita religiosa. Mesmo quando feito por voluntários que usam Hábito religioso, não há referência ao credo. É importante que tal conversa seja feita sempre em voz baixa, a sós e não se prolongando além do tempo conveniente. Cantar hinos é proscrito, pelo Fato de invadir o espaço de outros pacientes. As visitas, com essa finalidade, devem ser feitas em horários que não atrapalhem o andamento da vida hospitalar e que não pertubem a tranqüilidade do sono, a alimentação, a Higiene e a medicação do Paciente.
Note-se que se trata de Trabalho feito com devoção, mas sem Caráter religioso. É exclusivamente espiritual.
Por ocasião do Natal, esse Grupo de Voluntários pode organizar a solenidade comemorativa dessa data, quando então será permitido o cântico dos hinos natalinos. A experiência é extremamente positiva e não há entre os doentes, Médicos e funcionários quem não se toque e não manifeste a satisfação que sentiram de estar presentes naqueles momentos.
A palavra amiga, com uma mensagem positiva forte de esperança, transmite a paz que a fé confere a cada Paciente na hora do sofrimento.
(ref. CID10) ___ materna e pós-natal, Assistência à Gravidez por motivo de Abortamento habitual, (O26.2)
Assistência e exame da mãe nutriz, (Z39.1)
Assistência e exame imediatamente após o parto, (Z39.0)
Assistência e exame pós-natal, (Z39)
Assistência e Observação em casos não complicados, (Z39.0)
Assistência prestada à mãe por Anormalidade e Lesão fetais, conhecidas ou suspeitadas, (O35; Malformação do Sistema nervoso Central do Feto (suspeitada) – O35.0; Anormalidade cromossômica (suspeitada) do FetoO35.1; Doença hereditária (suspeitada) do FetoO35.2; Lesão fetal (suspeitada) causada por Doença viral materna – O35.3; Lesão (suspeitada) causada ao Feto por Alcoolismo materno – O35.4; Lesão fetal (suspeitada) causada por drogas – O35.5; Lesão fetal (suspeitada) causada por RadiaçãoO35.6; Lesão fetal (suspeitada) causada por outros Procedimentos médicosO35.7; outras anormalidades ou lesões fetais (suspeitadas) – O35.8; Lesão ou Anormalidade fetais (suspeitadas), não especificadas – O35.9)
Assistência prestada à mãe por anormalidade, conhecida ou suspeita, dos Órgãos pélvicos maternos, (O34; Malformação congênita do ÚteroO34.0; Tumor do Corpo do ÚteroO34.1; Cicatriz uterina devida a uma Cirurgia AnteriorO34.2; incompetência cervical – O34.3; outras anormalidades do Colo do útero– O34.4; outras anormalidades do Útero gravídico – O34.5; Anormalidade da VaginaO34.6; Anormalidade da Vulva e do PeríneoO34.7; outras anormalidades dos Órgãos pélvicos – O34.8; Anormalidade de Órgãos pélvicos, não especificada – O34.9)
Assistência prestada à mãe por motivo de apresentação anormal, conhecida ou suspeitada, do feto, (O32; posição fetal instável – O32.0; apresentação pélvica – O32.1; posição fetal transversa e oblíqua – O32.2; apresentação de face, Mento e FronteO32.3; polo cefálico alto em Gestação a termo – O32.4; Gestação múltipla com apresentação anormal de um ou mais fetos – O32.5; apresentação composta – O32.6; outras formas de apresentação anormal do FetoO32.8; apresentação anormal do feto, não especificada – O32.9)
Assistência prestada à mãe por outros problemas fetais conhecidos ou suspeitados, (O36; isoimunização Rh – O36.0; outros tipos de isoimunização – O36.1; Hidropsia fetal – O36.2; sinais de Hipóxia fetal – O36.3; Morte intra-uterina – O36.4; Insuficiência de Crescimento fetal – O36.5; Crescimento fetal excessivo – O36.6; Feto viável em Gravidez abdominal – O36.7; outros problemas fetais especificados – O36.8; problema fetal não especificado – O36.9)
Assistência prestada à mãe por uma Desproporção conhecida ou suspeita, (O33; Deformidade da Pelve óssea materna – O33.0; Contração geral da PelveO33.1; Contração do estreito Superior da PelveO33.2; Contração do estreito Inferior da PelveO33.3; Desproporção de origem mista, materna e fetal – O33.4; Desproporção devida a Feto excepcionalmente grande – O33.5; Desproporção devida a Feto hifrocefálico – O33.6; Desproporção devida a outras deformidades fetais – O33.7; Desproporção de outra origem – O33.8; desproporção, não especificada – O33.9).

comments powered by Disqus