Criança

De Enciclopédia Médica Moraes Amato
Ir para: navegação, pesquisa

Ser humano de pouca Idade.
___ populares, as autoridades educacionais têm demonstrado displicência para com a Saúde das crianças. Decreto intempestivo suprimindo o exame médico na rede escolar de São Paulo privou muitas crianças da única oportunidade que a vida lhes reservara de não serem futuros cardíacos. O estetoscópio, o mais simples Instrumento médico para exame do coração, foi idealizado por Laennec, em 1819, e, até hoje, quase dois séculos depois, continua sendo o melhor. Em que pese toda a sofisticada aparelhagem que a tecnologia moderna está oferecendo, quando há divergência entre resultados, o exame clínico continua sendo soberano. Com ele o médico pode identificar a presença ou não de sopro Cardíaco. Embora este nem sempre represente Doença do coração, impõe-se, então, exame com especialista. Do ponto de vista cardiológico é mister que antes de se suprimir os exames Médicos em massa, se ponderem dois aspectos. 1- Não há Criança que passe a Infância sem apresentar um Surto Agudo de Amigdalite. Quando agredida pelo germe, o alerta é dado pela dor de garganta, decorrente da Inflamação manifestada pelo Aumento de volume, vermelhidão, e pontos ou placas de pus. A Congestão local propicia a entrada de Germe na Circulação. Nesse instante, o organismo mobiliza todas as suas defesas, imediatamente aparece a Febre como Sinal de alarme e todo o Sistema imunitário é ativado. Os glóbulos brancos aumentam; os gânglios Linfáticos próximos ao foco enfartam-se e, assim, progressivamente, os recursos orgânicos vão sendo mobilizados. Evidentemente, as crianças populares, por serem mal alimentadas, portadoras de verminoses, com precários hábitos de higiene, são as mais fracas e, conseqüentemente, as mais suscetíveis a novos surtos de Infecção. A compreensão simplista de que, superada a fase aguda, o problema esteja resolvido é totalmente falsa. Estima-se que 3% das amigdalites evoluam para Doença reumática. Esta moléstia pode ser aguda ou crônica, com sérias conseqüências tardias para suas vítimas. O Germe que mais freqüentemente infecta a Amígdala é o Estreptococo beta-hemolítico. Ele pode ficar assestado na orofaringe, mesmo na Ausência de doença, aguardando uma Queda de Resistência orgânica para então atacar. Assim, a Recidiva do Processo ocorre com freqüência. Entretanto, as coisas são mais complexas do que aparentam. Alguns indivíduos desenvolvem um mecanismo imunológico que produz lesões articulares e muitas vezes também danifica as valvas cardíacas. Esse Tipo de evolução levou os Médicos antigos a atribuírem à Doença reumática Comportamento Equivalente ao de um animal que lambe as articulações e morde o Coração. A Lesão valvar pode passar despercebida até a quarta década de vida quando, então, os primeiros sintomas aparecem. Durante esse período, o Indivíduo fica Suscetível a novos contatos com o Agente causador da doença, podendo em cada Surto agravar as lesões já existentes. Impõe-se pois uma profilaxia adequada. 2- A Endocardite infecciosa é outra Doença que pode ocorrer em qualquer indivíduo, mas sua Incidência prevalece nos portadores de sopro Cardíaco. Nestes, um simples manuseio dentário pode deslocar o Germe que encontrará adesão na Válvula cardíaca já lesada, agravando, assim, uma situação até então estável. É por esse Fato que pacientes com determinadas lesões cardíacas, de Causa reumática ou congênita, devem merecer Atenção especial, pois são suscetíveis de ter Endocardite infecciosa durante procedimentos cirúrgicos ou na vigência de pequenos ferimentos que estabeleçam porta de entrada para germes. Ressalte-se, novamente, a importância da profilaxia. Para concluir, ressalte-se que privar as crianças populares, na fase escolar, de um exame médico, ainda que seja apenas para triagem de um grupo de risco, pode ser o mesmo que condená-las a ter uma Cardiopatia grave no futuro.
(ref. CID10) Criança irritável, (R68.1)
Criança única, não especificado quanto ao local de nascimento, (Z38.2)
Criança única, nascida em hospital, (Z38.0)
Criança única, nascida fora do hospital, (Z38.1)

comments powered by Disqus