Droga

De Enciclopédia Médica Moraes Amato
Ir para: navegação, pesquisa

(ref. Agência Nacional de Vigilância sanitária) Matéria prima de origem mineral, vegetal, animal ou biológica, constituída por um ou mais fármacos.
Substância ou Matéria-prima que tenha finalidade medicamentosa ou sanitária.
___, como enfrentar, pelo nome de tóxico, entorpecente, narcótico, psicotrópico, psicoléptico, psicoanaléptico, psicodisléptico e outros, podemos entender um grupo de Substância com características de alterar o Comportamento humano, pois atuam no Sistema nervoso Central. Em razão deste efeito, podemos observar três tipos de respostas, a saber: estimulação, Depressão e Alucinação. Vamos tentar ajudá-la(o) neste objetivo. Comece comparando o Corpo humano a um automóvel. O motor será o Sistema nervoso Central. Ora, se nós apertamos o acelerador, irá entrar mais combustível no carburador e haverá maior rotação, o carro ficará mais ágil, andará mais rápido, vibrará mais e, se o motor for forçado, poderá fundir. Este Tipo de ação é semelhante ao das drogas estimulantes, com respeito ao Sistema nervoso Central. Como exemplo, a cocaína produz nervosismo, aumenta a atividade física, suprime a sensação de fadiga, ocasiona bem-estar, o Coração dispara, podem aparecer tremores musculares e poderá sobrevir a Morte. Se o pé do acelerador fosse retirado, o carro que vinha andando em uma estrada plana, começa a perder a velocidade e, como o número de giros de motor diminui, junto com menor r.p.m. vai haver menor velocidade. Em havendo discreta elevação à frente, na estrada, o carro não conseguirá ultrapassá-la, e, após um ou outro solavanco, pára. Isto pode ser comparado às drogas depressoras. Pelo uso destas, diminui a atividade do Sistema nervoso Central. Sobrevêm sonolência, Dificuldade em manter-se em atenção, Dificuldade de raciocínio. Assim como o motor do carro pode parar, também poderá cessar a respiração e por isso poderá o Indivíduo vir a morrer. Com respeito à alucinação, notamos haver distorção da informação. A Observação é de haver Alterações das cores, das formas dos objetos, dos sons. É um Processo de desajuste da percepção. Usando o exemplo do carro, se mudarmos a posição dos cabos das velas do motor, vamos ter uma distribuição irregular da faísca para os cilindros. Isto fará com que o motor apresente explosões, o carro caminha aos trancos, há contragolpes no motor e este perde a Capacidade de funcionamento Normal. Parece até que o motor ficou “louco”. Ora, pelo que foi ponderado, haverá sempre pelo uso de um dos três tipos de drogas, alteração de Comportamento do usuário. Isto é de grande importância e nos obriga, como pais, a prestar Atenção em nossos filhos. Para que haja desconfiança do uso de uma droga, jamais use um só Sinal ou Sintoma. Vale a Pena citar que um dos sinais devidos ao uso da Maconha é a constatação do “olho vermelho”. Se o seu filho estiver com um ou os dois olhos vermelhos, não significa obrigatoriamente que tenha usado Maconha. Poderá ter tido os olhos atingidos por poeira ou outras substâncias irritantes, condicionadoras da vermelhidão observada. Para que haja suspeita mais evidente, é necessário o aparecimento de vários sinais ao mesmo tempo. Observem, vocês que são pais, alguns pormenores indispensáveis para a sua suposição. Consideremos, de início, a atuação das drogas sobre o Sistema nervoso central, tal como foi comparado ao motor de um automóvel. Assim sendo, se você observarem que seu filho apresenta distúrbios de Sono – sonolento demais, mostrando Dificuldade em acordar e levantar pelas manhãs, ou se mostrar Insônia algumas vezes, aumentem as observações. Observem com mais cuidado qual tem sido o desempenho escolar ou no Trabalho. As notas estão menores sem justificativa real? As faltas às aulas foram observadas? No trabalho, foi chamado à Atenção ou mesmo chegou a ser demitido? Começaram a aparecer problemas de relacionamento com a família (pais, avós, tios, Irmãos mais velhos, outros) a ponto de surgirem sinais de intransigência e agressividade? O apetite está alterado? Há ocasiões em que come desbragadamente, chegando a ingerir alimentos gelados, recém-tirados da geladeira, cujo uso é feito sem esquentá-los? O consumo de doces ou refrigerantes é enorme, chamando à atenção? À noite, o consumo de Água ou de outra bebida chega algumas vezes a mais de dois litros? Há muitas vezes o uso de óculos escuros, mesmo quando a intensidade luminosa não for suficiente para justificar tal uso? Já notaram o uso de colírios, sem ser por receita oftalmológica? Todos estes fatos são devidos às respostas oculares denunciantes do uso de drogas. Os colírios para impedir a Observação dos olhos vermelhos. Os óculos escuros para proteger o incômodo da luz, pois como a Pupila poderá estar dilatada e diminuída a reatividade à luz, esta se torna incomodante. Afora isto, se á noite estiver dirigindo um Veículo a motor, poderá, pela luz incidente do farol de um Veículo trafegando em Sentido contrário, sofrer ofuscamento e daí sobrevirá um Acidente. Vemos claramente terem havido algumas modificações de Comportamento no Indivíduo. Não nos referimos a todas elas. Como foi possível notas, um único sintomas não é suficiente para nos levar à suspeita do uso indevido de drogas. Se vocês tiverem fortes razões para suspeitar que se filho esteja usando drogas, não se apavorem, nem façam Chantagem emocional. Os pais devem estar senhores da situação. Tão logo o pai ou a mãe saiba do problema, deverá informar o cônjuge, para Avaliação da situação. Os amigos de seu filho usam drogas? Se isto acontecer, a probabilidade de seu filho também usá-la é muito grande. Vocês já notaram o desaparecimento de dinheiro, tanto do pai, quanto da mãe ou de outro familiar, e mesmo de objetos (relógicos, anéis, jóias, objetos de arte, máquinas fotográficas ou filmadoras, roda com pneu estepe de carro, Rádio do carro) e que muitas vezes foram atribuídos aos serviçais ou outras pessoas que mantiveram relação de Trabalho com a família? Verifiquem também se não houve mudanças dos amigos. O relacionamento agora é feito com outras pessoas e várias vezes as chamadas telefônicas são estranhas. A linguagem usada por seu filho ao telefone nem sempre é compreensível. Ora, diante deste quadro, você e seu cônjuge devem ter uma conversa firme, sem agressividade com seu filho que deverá estar ciente de que, apesar da negativa sempre apresentada e às vezes agressiva, os elementos disponíveis até então são muito característicos para reforçar a suspeita. Prendê-lo em casa, proibindo-o de ir à qualquer lugar que não seja o estritamente necessário, cortar a mesada, surrar ou ameaçar de espancamento, de nada adiantará. Tudo isto não trará qualquer Benefício a seu filho, bem como querer identificar a quem cabe a Culpa pelo uso de Droga do filho ou filha? Será o pai? Será a mãe? Serão os Irmãos ou outros parentes ou amigos? O conhecimento deste detalhe em nada auxiliará o jovem no seu restabelecimento. A discussão deste ponto só irá deteriorar o relacionamento familiar, tornando-o ainda mais sério do que já demonstra no momento. Se a discussão for feita perante o filho ou os demais familiares, pior será. O principal não é ter conhecimento de “onde foi que erramos?” O momento não é ter este conhecimento. Ele agora de nada serve. Vocês, pais, precisam estar informados de que o uso de drogas por um jovem não o cataloga como vagabundo, mau filho, desordeiro, ordinário, desprezível, ladrão, desonesto ou muitos outros adjetivos que lhe são atribuídos. Seu filho é tão bom quanto o meu, que não usa drogas. O seu filho poderá estar valendo-se de um artifício para chamar a Atenção dos pais, por não a terem dado, na dimensão de suas necessidades. Ninguém busca empurrar filhos ao uso de drogas. A falta de conhecimento de fatores indutores da Dependência poderá ter começado, sem que os pais para tanto o desejassem, na própria casa. As estatísticas brasileiras e mundiais mostram que sempre houve fator Familiar contribuinte no uso de drogas, apesar de não ser intencional. Por essa razão, coloquem-se do lado dele para auxiliá-lo. Muitas coisa terão de ser reprogramadas, tanto para ele quanto para os pais. Não se esqueçam de que os eventuais erros deles são decorrentes do nosso desacerto paterno ou materno ou de ambos. Não procure interná-lo para Tratamento. Para ele, a internação significa afastamento da família. Ele precisa da família e está buscando o auxílio dos pais. Ajudem-no. [Fernando Varela de Carvalho]
___ vegetal, Planta ou suas partes, que após sofrer Processo de coleta, secagem, estabilização e conservação, justificam seu emprego na preparação de medicamento.
(ref. apresentação de fármacos) Substância bruta em que existe um Princípio ativo.
Ingrediente ou substâncias simples de natureza animal, vegetal ou mineral que serve em regra a fabricação de outros produtos, estes de natureza medicinal ou química.
(ref. CID10) Aconselhamento e Supervisão para Abuso de droga, (Z71.5)
Assistência materna por Lesão fetal (suspeitada) causada pela Dependência (materna) de drogas, (O35.5)
Catarata induzida por drogas, (H26.3)
Choque anafilático devido a efeito adverso de Droga ou medicamento correto administrado de maneira apropriada, (T88.6)
Coma insulínico induzido por Droga em não-diabéticos, (E15)
Coréia induzida por droga, (G25.4)
Distonia induzida por drogas, (G24.0)
Efeito adverso à Droga ou medicamento correto administrado de maneira apropriada, (T88.7)
Efeito adverso não especificado de Droga ou medicamento, (T88.7)
Efeitos adversos de Droga e medicamento não especificado, (Y57.9)
Efeitos adversos de drogas anticonvulsivantes, (Y46)
Efeitos adversos de drogas anti-epilépticas, (Y46)
Efeitos adversos de drogas antifúngicas de uso local, (Y56.0)
Efeitos adversos de drogas antiinfecciosas de uso local, (Y56.0)
Efeitos adversos de drogas antiinflamatórias de uso local, (Y56.0)
Efeitos adversos de drogas antitireoidianas, (Y42.2)
Efeitos adversos de drogas antitrombóticas, (Y44.4)
Efeitos adversos de drogas de uso dentário aplicadas topicamente, (Y56.7)
Efeitos adversos de drogas de uso dentário, (Y56)
Efeitos adversos de drogas de uso oftalmológico, (T49.5 e Y56)
Efeitos adversos de drogas de uso otorrinolaringológico, (T49.6 e Y56)
Efeitos adversos de drogas que atuam primariamente sobre o Sistema nervoso autônomo, (Y51)
Efeitos adversos de drogas que estimulam ambos Receptores alfa e beta-adrenorreceptores, (T44.9 e Y51.9)
Efeitos adversos de outras drogas antiinflamatórias não-esteróides, (Y45.3)
Efeitos adversos de outras drogas antiprotozoários, (Y41.3)
Efeitos adversos de outras drogas e medicamentos, (Y57.8)
Efeitos adversos de outras drogas e medicamentos, e as não especificadas, (Y57)
Efeitos adversos de outras drogas que atuam primariamente sobre o Aparelho cardiovascular, e as não especificadas, (Y52.9)
Efeitos adversos de outras drogas que atuam sobre o Aparelho respiratório, e as não especificadas, (Y55.9)
Gota induzida por drogas, (M10.2)
Hipersensibilidade à Droga ou medicamento correto administrado de maneira apropriada, (T88.7)
Hipersensibilidade à Droga sem outra especificação, (T88.7)
Hipoglicemia induzida por Droga sem coma, (E16.0)
Hipopituitarismo induzido por droga, (E23.1)
Hipotensão devida a drogas, (I95.2)
História pessoal de Alergia a drogas, Medicamentos e a substâncias biológicas, (Z88)
História pessoal de Alergia a drogas, Medicamentos e substâncias biológicas não especificadas, (Z88.9)
História pessoal de Alergia a outras drogas, Medicamentos e substâncias biológicas, (Z88.8)
Idiossincrasia à Droga ou medicamento correto administrado de maneira apropriada, (T88.7)
Insuficiência adrenocortical induzida por drogas, (E27.3)
Insuficiência hepática aguda devida a drogas, (K71.1)
Insuficiência hepática crônica devida a drogas, (K71.1)
Intoxicação por Droga psicotrópica não especificado, (T43.9)
Intoxicação por drogas antialérgicas e antieméticas, (T45.0 e Y43.0)
Intoxicação por drogas antidiarréicas, (T47.6)
Intoxicação por drogas antiepilépticos, sedativos-hipnóticos, não especificados, (T42.7)
Intoxicação por drogas anti-hiperlipêmicas e anti-arterioscleróticas, (T46.6 e Y52.6)
Intoxicação por drogas antimicobacterianas, (T37.1 e Y41.1)
Intoxicação por drogas antineoplásicas e imunomupressoras, (T45.1 e Y43.3)
Intoxicação por drogas antiparkinsonianos e outros depressores centrais do tônus muscular, (T42.8 e Y46.7)
Intoxicação por drogas anti-resfriado, (T48.5 e Y55.5)
Intoxicação por drogas antivaricosas, incluindo os agentes esclerosantes, (T46.8 e Y52.8)
Intoxicação por drogas antivirais, (T37.5 e Y41.5)
Intoxicação por drogas dentárias de uso tópico, (T49.7)
Intoxicação por drogas ocitócicas, (T48.0)
Intoxicação por drogas para Atonia intestinal, (T47.4 e Y53.4)
Intoxicação por drogas que afetam a fibrinólise, (T45.6)
Intoxicação por drogas que agem sobre o Metabolismo do Ácido úrico, (T50.4 e Y54.8)
Intoxicação por outras drogas antidisritmicas, (T46.2 e Y52.2)
Intoxicação por outras drogas psicotrópicas, (T43.8)
Mielopatia induzida por droga, (G95.8)
Mioclonia induzida por droga, (G25.3)
Miopatia induzida por drogas, (G72.0)
Níveis urinários elevados de drogas, Medicamentos e substâncias biológicas, (R82.5)
Obesidade induzida por drogas, (E66.1)
Osteonecrose devida a drogas, (M87.1)
Osteoporose induzida por drogas, (M81.4)
Polineuropatia induzida por drogas, (G62.0)
Problemas relacionados com o uso de droga, (Z72.2)
Reação à Droga sem outra especificação, (T88.7)
Reação alérgica à Droga ou medicamento correto administrado de maneira apropriada, (T88.7)
Resposta fotoalérgica a drogas, (L56.1)
Resposta fototóxica a drogas, (L56.0)
Síndrome de Cushing induzida por droga, (E24.2)
Transtornos pulmonar intersticial não especificado induzido por droga, (J70.4)
Transtornos pulmonares intersticiais agudos induzidos por droga, (J70.2)
Transtornos pulmonares intersticiais crônicos induzidos por droga, (J70.3)
Tremor induzido por drogas, (G25.1).

comments powered by Disqus